domingo, 15 de agosto de 2010

Características das Obras de Nelson Rodrigues

Madame Clessi de "Vestido de Noiva" interpretada por Marília Pera

Muito de sua dramaturgia representa a família, sua organização, conflitos e todos os problemas envolvidos nessa temática, mesmo que muitas vezes sua história apresente vários temas simultâneos, seu foco principal consistia nisso. E os problemas apresentados por Nelson relacionado a ela na maioria das vezes é de origem sexual, apresentando incestos, infidelidade, insatisfação, entre outros. Quando a questão é a infidelidade, Nelson faz questão de demonstrar que esta acaba por afetar todos de uma família, que traição está diretamente ligada a honra.
Ao representar algumas personagens femininas, Nelson é influenciado por toda uma problemática sócio-cultural, e traz cravado em sua obra um conceito da sociedade da época, que acreditava que a virgindade servia para detectar as moças ''puras'' das putas, não existia um meio termo quando se tratava de caráter, as virgens eram santas e as não virgens eram canalhas. E tudo isso estava relacionado ao pecado. Pecado e morte também estavam sempre presentes nas suas obras.
Cena de "Beijo no asfalto"

Nelson acreditava habitar em cada ser humano duas 'faces'', geralmente classificadas por ele como santos e canalhas, e cada ser humano não estaria livre delas,sendo que na sua opinião a que prevalecia era a canalha. O lado santo é o lado bom, que merece perdão, redenção, os canalhas se deixavam levar por seus desejos, fazendo o que fosse preciso para realizá-los, da maneira mais imoral Possível se assim fosse necessário. E que nem todo mundo é tão santo que não possa ter um canalha em si e vice-versa. Muito de sua obra e seus personagens  giram em torno dessa idéia que é seu ponto de vista em relação à natureza humana.
Nelson produziu o que Antonin Artaud (1896 – 1948) considerou ''teatro da crueldade'', porém Nelson considerou como ''teatro desagradável'' porque tratava da realidade que a platéia não queria ver. Não escrevia pensando em agradar ninguém. Por isso foi considerado tarado, pervertido, pois escrevia o que muitos não queriam ver,n ão da maneira em que ele contava, de forma direta, e certas vezes até mórbida. Ele cria em seu teatro a visão do vazio existencial de cada indivíduo, mesmo vivendo em sociedade, e esta ainda colabora para esse vazio ao invés de ajudar.
O que podemos perceber nitidamente fazendo uma associação de sua vida pessoal e sua obra, e que sua vida pessoal é visível dentro de suas obras, trazendo consigo características vividas ou presenciadas. Nelson simplesmente conseguia enxergar a realidade e não ter medo de mostrá-la, numa época em que as pessoas preferiam não vê-la, mas tinha uma visão mais ampla dos acontecimentos, levando em consideração não somente os fatos, mas as obsessões por trás deles. Sua obra está repleta de obsessões.
Aos 8 anos de idade ele escreveu uma redação para a escola, onde contava a história de um adultério que resultava na morte da adúltera. Isso mostra a sua obsessão que o acompanha desde pequeno: o sexo e a morte, sempre de mãos dadas. Desde cedo ele  tem acesso a leituras mais pesadas, que vieram a influenciar também em suas obras, variavam os autores mas o tema era sempre o mesmo: a morte punindo o sexo ou o sexo punindo a morte, ou até os dois juntos.
Em algumas delas,Nelson mistura personagens fictícios, com personagens reais, pessoas comuns do dia-a-dia, mas sua intenção nunca foi fazer da realidade uma ficção e tampouco a ficção uma forma de realidade, o que ele queria era criar uma realidade diferente, a realidade da cena, para ele era isso que importava para o teatro: a verdade da cena.
Seus personagens apresentam uma incontrolável angústia sexual pois suas práticas contrariam os valores morais da sociedade, ou acabam reprimindo seus desejos. A angústia vem por serem reprimidos ou livres demais. A maioria deles foram inspirados na sua própria vizinhança, da rua alegre, pra onde a família Rodrigues se mudou em 1916, até os alguns nomes de personagens são iguais aos de seus antigos vizinhos, aqueles que de certa forma o marcaram.
Nelson Rodrigues

Nelson admite que a primeira peça que escreveu, tinha como objetivo ganhar dinheiro, mas  durante a escrita foi tomado por uma vontade de fazer uma obra que impressionasse os intelectuais da época. Sua obras iam contra aqueles que queriam um ''teatro sério'' afinal ele estava em oposição ao teatro comercial, pois sua intenção não era agradar o público e falar pra eles o que eles queriam ouvir. Ele pouco se importava com que o público considerava moralmente aceitável. Nelson considerava que toda unanimidade é burra, e ele diz isso porque considera a opinião pública um julgamento de aparências.

3 comentários:

  1. Márcia Nascimento9 de agosto de 2012 17:59

    Parabéns pelo blog. Foi-me muito útil. Vou indicar para
    alguns amigos. Também sou fã desse escritor que mostra aquilo que queremos esconder.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo Blog, e a publicação está ótima :D

    ResponderExcluir